terça-feira, 26 de junho de 2018

GRAVÍSSIMO E INACEITÁVEL, a truculência policial no Monte Calvário

Policiais militares são denunciados por cidadã em sua rede social


É um típico caso da fracassada e míope guerra às drogas, o poder público abandona toda uma comunidade...

...dando lugar aos desmandos alusivos a uma terra sem lei, e assim está o Monte Calvário, com décadas de abandono...

...e agora temos este mais que lamentável, e sim repugnante fato denunciado pela jornalista Vanessa Coutinho, que conta com toda minha solidariedade...

...pois a conheço assim como sua mãe, vítima da truculência policial ocorrida no dia 17 de junho...

...sob respaldo de um mandado de busca e apreensão sem o menor fundamento.



O que me fere de morte neste caso gravíssimo, é que as pessoas que estão sendo vítimas da violência policial, estão muito longe representar qualquer ameaça a sociedade...

...pelo contrário, as duas juntas com o músico Cris Cantaluz tiveram a iniciativa de ocupar o espaço vago pelo poder público com o projeto "Casa CorAção"...

...que oferece aulas de música, artesanato e entretenimento cultural para as crianças do Monte Calvário...

...e a polícia em vez de apoiar essa iniciativa que afasta as crianças das drogas e da criminalidade...

...ela simplesmente reprime, como se trabalhar voluntariamente para reduzir a criminalidade contrariasse as ações da PM.

Reproduzo a seguir, o contundente e estarrecedor manifesto da jornalista Vanessa Coutinho



Se eu, minha mãe ou algum familiar sofrermos algum atentado contra nossas vidas saibam que foram policiais da 2ª Cia (Bom Jesus do Itabapoana-RJ), do 29º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro.

Na noite do último sábado (23/06/2018) dois policiais mascarados invadiram a casa da minha mãe, bateram e a ameaçaram.

Acreditamos ser uma retaliação em virtude da denúncia que fiz ao 8º Batalhão de PM, em Campos dos Goytacazes, ao qual o 29º Batalhão é subordinado, sobre a atuação violenta, desumana e desrespeitosa que a PM vem fazendo nos bairros pobres da cidade, especialmente no Monte Calvário, onde resido e onde temos um projeto social para crianças e adolescentes, a Casa CorAção.

Denunciei o nome de alguns policiais que são sabidamente os mais abusadores. (Inclusive se quiserem saber esses nomes, me perguntem inbox)

Disseram que se ela denunciasse novamente algum PM, eles iriam matar toda família.

E como sabemos que eram policiais? Primeiro que eles se referiam à denúncia. Segundo que os homens mascarados estavam com roupas iguais as que atuam aqui no bairro à paisana: calças escuras dentro dos coturnos e blusas escuras, armados e com cacetetes. 
Para nós não resta a menor dúvida de que se trata de uma ameaça em vitude da denúncia que fiz.

Apenas a minha mãe estava em casa com minha avó, que está acamada devido a um AVC que sofreu. Os homens entraram quando ela estava deitada, abriram a porta pela abertura da janela, que fica próxima à porta. Bateram muito nela, mas, como é típico deles, batem de forma que ficam poucas marcas externas. Mas ela está cheia de hematomas e com dores por todo corpo.

Eu não estava em casa, dormi fora justamente porque a PM estava fazendo abordagens à paisana abusivas no bairro, é duro ver isso cotidianamente e não poder fazer nada.
Hoje quando soube do ocorrido fiz a denúncia ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro por meio do telefone 127, pois minha mãe ficou com medo de denunciar, com toda razão. 

Estou com MEDO, é claro, mas NÃO ME CALAREI diante de tantas afrontas aos Direitos Humanos.

O Ministério Público, assim como toda a Justiça para o pobre, é bem morosa. São poucos os profissionais da Justiça que tem preparo e empatia para tratarem desses casos. São pouquíssimos promotores e defensores de Justiça que querem se envolver em casos como esse. É melhor ganhar o seu sem grandes atribulações, fora que suas mesas estão abarrotadas de tantos processos que é difícil dar conta.

Então SE EU MORRER vocês já sabem quem foi. Foi a PM! E podem até me processar, porque para isso a instituição usa a inteligência.
Estou avisando a todos que conheço.

Há tempos, especialmente, o Estado do Rio vem sofrendo com a atuação desastrosa da Polícia Militar. Em nome de uma política antidrogas falha, em nome da LEI falha, a polícia está fazendo todo tipo de abusos contra os cidadãos. E não se enganem, quem mais sofrem são os pobres e pretos.

Uma vez um senhor me disse sabiamente que nesse país a Lei que impera é a do 3 P's, Pretos, Pobres e Putas. E é bem isso! 


A sociedade tem MEDO da PM, uma instituição que deveria nos defender. Digo deveria, porque na realidade não é isso que ela faz. Aqui ela espanca menores de idade, ela está cada vez mais repressora, ela mata, ela forja provas. Sem falar das inúmeras duras que dão aqui. O bairro não tem nenhuma área de lazer e nem na rua os moradores podem mais ficar porque tem medo, a polícia pode chegar a qualquer momento dando dura em todos.
Mais quantos garotos uniformizados precisarão morrer para essa que essa Política de Segurança Pública, para que a Polícia Militar, que o Estado se dê conta de que falharam? 

De que precisamos realizar uma nova política antidrogas? De que estamos matando nossa gente... matando muito, tem muito sangue escorrendo, tem muitas vidas sendo ceifadas EM NOME DA LEI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário